Técnicas de uso de história oral para iniciativas coletivas de valorização da memória

 

Técnicas de uso da história oral para iniciativas coletivas de valorização da memória

O curso pretende fornecer aos participantes ferramentas para que iniciem a constituição de acervos públicos de história oral e memória, a partir de técnicas de produção, armazenamento e divulgação de acervos, proporcionando um contato com as principais técnicas de história oral e preparando-os para usar a oralidade na constituição de acervos de memória. Ao longo do curso serão discutidas a importância das fontes orais na valorização da memória de grupos, capacitando os participantes na implementação de projetos de história e memória e na constituição de acervos de memória.

Este curso é resultado de uma parceria do Centro de Preservação Cultural (CPC) com o Grupo de Estudo e Pesquisa em História Oral e Memória (Gephom).

Continue reading “Técnicas de uso de história oral para iniciativas coletivas de valorização da memória”

O mundo natural nos museus. Exposições em museus de história natural como representação cultural

Curso de difusão: O MUNDO NATURAL NOS MUSEUS EXPOSIÇÕES EM MUSEUS DE HISTÓRIA NATURAL COMO REPRESENTAÇÃO CULTURAL

Como o mundo natural é representado por museus de história natural? Como suas exposições mobilizam narrativas sobre a natureza e o que elas dizem sobre a maneira como nossa sociedade lida com o mundo natural? Como se constituem os acervos desses museus e como eles são tratados?

Os museus de história natural abrigam as maiores coleções científicas e suas exposições figuram entre as mais visitadas. A análise historiográfica sobre a constituição arquitetônica destes espaços e da representação do mundo natural em suas exposições visa contribuir para o debate e compreensão do sistema de comunicação estabelecido por essas instituições na sociedade contemporânea.

Continue reading “O mundo natural nos museus. Exposições em museus de história natural como representação cultural”

O lugar da natureza nas políticas de preservação do patrimônio cultural no Brasil

O lugar da natureza nas políticas de preservação do patrimônio cultural no Brasil

Qual o lugar da natureza nas políticas de identificação, preservação e valorização do patrimônio cultural promovidas por órgãos como o Condephaat e o Iphan? Este curso pretende apresentar um panorama das ações destas instituições no âmbito do patrimônio natural, entendendo-o como parte constituinte das reflexões e ações sobre o patrimônio cultural. Será discutida sua conceituação, trajetória de atuação e casos paradigmáticos, bem como será apresentada uma leitura crítica da bibliografia disponível.

Continue reading “O lugar da natureza nas políticas de preservação do patrimônio cultural no Brasil”

Caminhos urbanos: arquitetura, cidade e educação patrimonial em São Paulo

Curso CAMINHOS URBANOS. Arquitetura, cidade e educação patrimonial em São Paulo. Módulo 2: A expansão da cidade de São Paulo (1954–2015)

Este curso foi formulado a partir da sugestão dos alunos que cursaram o Módulo 1 do curso Caminhos urbanos: arquitetura, cidade e educação patrimonial em São Paulo e seu interesse de conhecer a história de São Paulo a partir de meados do século XX até a contemporaneidade. Essa nova versão visa atender aqueles alunos que não puderam cursar o módulo oferecido em 2017 e complementar os materiais coletados para montagem da exposição São Paulo cidades, a ser realizada em 2019.

O curso apresenta o processo de expansão de São Paulo, considerando não apenas a sua materialidade, através dos edifícios e planos urbanos, mas os significados simbólicos que o seu patrimônio construído assumiu ao longo da história. O período abordado neste módulo vai de 1954, ano da comemoração do IV Centenário de Fundação da cidade, até a contemporaneidade. A baliza inicial marca a consolidação de um processo de crescimento apoiado na verticalização do centro e no espraiamento da mancha urbana. A partir dai, a metrópole vai adquirindo novas conformações, ora reforçando esse padrão de crescimento, ora apresentando novas dinâmicas. Percorrer os bairros da cidade permite reconhecer as dinâmicas urbanas e compreender seu patrimônio construído ampliando os sentidos de memória e pertencimento.

Continue reading “Caminhos urbanos: arquitetura, cidade e educação patrimonial em São Paulo”